CRISTAL VIOLETA

Descrição

Frasco de 500 ml

 

Infomações Tecnicas

Esta técnica permite subdividir as bactérias em dois grandes grupos: as designadas Gram+ (positivas), que têm a capacidade de reter o primeiro corante usado (cristal violeta), e as Gram- (negativas) que não conseguindo reter o primeiro corante, adquirem a cor do segundo, após a lavagem com o solvente orgânico. Este facto deve-se à diferença na espessura da camada de peptidoglicano existente na parede bacteriana. Assim, a camada espessa das Gram+, depois de colapsar sob o efeito desidratante do etanol, não permite a saída do corante, um complexo formado pelo cristal violeta e pelo iodo; contrariamente a camada fina das Gram- mesmo colapsada não evita a saída do corante ficando a célula incolor, e por isso a necessidade de usar um segundo corante contrastante - a safranina.

 

Avenida Mauá, 2007 - Zona 03 - Maringá, PR - CEP 87050.020
Fone: (44) 3222-6520